Fale Conosco, Ligue: (48) 3466-0533
Ouça ao Vivo
13/06/2017  às 14hs06

Presidente da Apae de Orleans demonstra felicidade com arrecadação de pedágio: “Mostra o comprometimento da sociedade”

Foto: Iago Telles | Arquivo/Rádio Guarujá

Foto: Iago Telles | Arquivo/Rádio Guarujá

Os R$ 15.480,65 arrecadados durante pedágio realizado no último sábado, dia 10, são motivo de comemoração para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Orleans. Em entrevista por telefone à Rádio Guarujá, o presidente Lorenço Ascari Júnior demonstrou essa felicidade e agradeceu a todos que contribuíram durante a ação.

“O resultado nos deixa feliz porque mostra justamente o comprometimento da sociedade em prol da Apae, contribuindo e auxiliando. Isso nos deixa muito felizes mesmo”, comemorou Ascari Júnior ao Guarujá Notícias | 1ª Edição.

Todo o valor obtido com o pedágio vai para o caixa da Apae, que junta recursos para a reforma da sede da entidade. O presidente adiantou que o início da obra pode se dar já em agosto, faltando apenas a finalização dos orçamentos com as empresas interessadas. “O projeto continua igual, não foi alterado em nada. O que programamos é fazer a obra em três etapas para dividir e dosar os valores, na medida da construção. R$ 1,1 milhão, que foi orçado no ano passado, é um valor que não temos disponibilizado, então, vamos fazer em três grandes etapas. As três empresas a qual temos contato estão reformulando os orçamentos e devem nos apresentar no início da semana que vem”, explicou Ascari Júnior.

Segundo o presidente, a ideia inicial é fazer a parte do refeitório, que seria a mais urgente da Apae. Ascari Júnior tem como pensamento tirar a fisioterapia do subsolo, trazer para o local atual do refeitório e iniciar a construção.

Bazar da Receita

Outra fonte de renda da associação virá da realização de um bazar com produtos apreendidos pela Receita Federal. Ainda sem data definida, a Apae trabalha nos últimos detalhes. “Apresentamos a documentação no início de abril, em Florianópolis, onde visitamos a superintendência da Receita Federal. Na semana passada, voltamos a manter contato e eles já acolheram nosso pedido, liberando o lote, só que estão com pouco efetivo para a separação das mercadorias, então, pediram prazo de 15 dias para fazer essa apuração de valores e separação de materiais”, explicou Ascari Júnior.

Ouça abaixo a entrevista completa:

Eduardo Madeira