Fale Conosco, Ligue: (48) 3466-0533
Ouça ao Vivo
14/10/2020  às 15hs44

O trabalho preventivo da Defesa Civil visando a redução de desastres

Foto: Julio Cavalheiro/ Secom

Foto: Julio Cavalheiro/ Secom


A Dia Internacional para a Redução de Desastre, instituído pela Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), foi celebrado nesta terça-feira, dia 13. Para explicar sobre a importância deste tema, principalmente no que diz respeito à prevenção, a Rádio Guarujá entrevistou o coordenador Regional da Defesa Civil, Rosinei Da Silveira.


"Os estudos da ONU, no Escritório Internacional para Redução de Riscos e de Desastres, apontam que, para sete dólares investidos na prevenção, é uma relação de sete para um. Ou seja, para cada dólar investido na prevenção, você economiza sete dólares na recuperação. Se você esperar apenas o evento adverso acontecer e fazer todo o trabalho de recuperação, você vai gastar sete vezes mais do que as obras iniciadas na prevenção", afirmou.


Em 2020, a celebração da ONU tem como tema a governança e as estratégias nacionais e locais para redução do perigo de desastres. As ações visam qualificar a resposta brasileira aos desastres, visto que o país verificou nas últimas décadas um aumento de ocorrências relacionadas ao clima e ações antrópicas. "Preocupado eu estou porque, até o presente momento, eu tenho acompanhado as propostas na televisão e no rádio, e muito pouco tem se falado na prevenção da vida neste sentido de qualidade de vida, de proteção e defesa civil".


"Essa proteção e defesa civil não é parte apenas do gestor público, mas também para cada cidadão. Por isso, o nosso foco nas escolas, para que a população também tenha a sua consciência, a sua participação para melhorar essa situação de risco. Os danos humanos não são apenas os danos considerados em uma gestão de desastres. Nós temos os danos materiais e os ambientais, que, no conjunto, leva toda sociedade para perder, seja a vida, qualidade de vida, economicamente ou atrasos a outras políticas públicas devido ao evento. Então é uma série de situações que podem ser evitadas com políticas preventivas. E este ano, entre os candidatos a prefeito, tem sido muito pouco falado", concluiu.


Confira a entrevista completa neste link.